10 estratégias de TI que podem fazer sentido para sua empresa

[LoginRadius_Share]

Você sabe, realmente, do que a sua empresa precisa para ter o gerenciamento da área de TI estruturado e pronto para suportar as operações de todas as áreas críticas do negócio? Saiba que, para isso, é fundamental adotar uma metodologia para que TI seja esse alicerce sólido sobre o qual se sustentará o crescimento da empresa e seus objetivos.

Neste artigo abordaremos dez principais estratégias de TI que garantem a sustentabilidade do negócio.

1- TI como parte dos pilares de sustentação do negócio

Parece básico, mas muitas empresas ainda enxergam a TI como uma área secundária, de apoio, à qual os recursos são destinados apenas para manter os sistemas e processos rodando, muitas vezes no limite da capacidade. E não estamos falando apenas das limitações de equipamentos, sistemas e links de internet. Mas também da falta de investimento nos profissionais, para que sejam mais estratégicos no apoio aos resultados do negócio. Lembre-se: uma correta estratégia de TI depende de uma TI estratégica.

2- TI não é o negócio e sim, suporte para o negócio

Se a falta de investimentos pode comprometer a suas estratégias de TI, fazer tudo dentro de casa também pode levar a problemas que não serão fáceis de equalizar. Não há justificativa para investir em uma superestrutura e uma equipe numerosa para um processo que não é o core business da empresa.

Por isso, uma estratégia cada vez mais adotada com sucesso pelas empresas é terceirizar os serviços de TI.

3- Transformação digital para garantir interações entre fornecedores, colaboradores e clientes

Na era da Transformação Digital o cliente passou a ser o foco das estratégias de TI das empresas. Neste mundo conectado e digital as pessoas geram e compartilham um número cada vez maior de dados, possibilitando novos modelos de negócio e permitindo que as empresas se relacionem com o consumidor também de um jeito totalmente novo. E isso afeta todos os públicos (clientes, fornecedores, colaboradores) e as operações dentro e fora de sua empresa.

Por isso, é preciso redesenhar os processos da empresa ao redor de ferramentas digitais na busca permanente pela melhoria contínua para ganho de escala, integrações e economia de custos.

4- Migração de serviços não críticos para nuvem

Para se adaptar a esse mundo em rápida mudança, a cloud computing é o primeiro passo para dar sustentação às inovações proporcionadas pela transformação digital.  A migração dos dados para a nuvem dinamiza os processos, acelerando a adoção de novos recursos. Mas na sua estratégia de TI você não precisa, necessariamente, migrar todos os seus sistemas e serviços críticos.

O melhor modelo para o seu negócio deve atender os seus objetivos e considerar análises de demanda, escala, segurança, nível de serviço, carga de trabalho, pontos de controle e investimento, entre outros.

5- Adoção de ferramentas amigáveis aos usuários e clientes

Em um mundo conectado a qualquer hora e em todo lugar, as pessoas começam a desconsiderar aquelas empresas que não oferecem canais de comunicação e uso de seus serviços de forma digital, de fácil acesso e de uso intuitivo. Cada vez mais o consumidor quer ter tudo acessível e resolvido em poucos cliques.

Uma estratégia de TI que considera a adoção de sistemas e tecnologias user friendly também oferece vários benefícios para clientes corporativos, parceiros de negócios e para os profissionais da empresa. Entre eles, melhorar, padronizar e automatizar processos de negócios, impactando positivamente a produtividade, o time-to-market para o lançamento de um novo produto ou serviço e outros indicadores-chave de desempenho (KPIs).

6- Políticas de segurança e monitoramento de acesso

Segurança da informação é uma preocupação dos CIOS, dos gestores e até dos acionistas, pois a imagem da empresa pode ser comprometida, o que leva a prejuízos financeiros se ocorrer alguma falha. Por isso, ter uma política de segurança estruturada em sua estratégia de TI é importante para você estar preparado para enfrentar todos os cenários. Desta forma você consegue blindar os seus dados, estabelecendo e reformulando as rotinas diante de novos ataques, com controle de acesso à web e análises de risco. E conta ainda com procedimentos bem desenhados para ações de emergência para que a recuperação dos dados e dos processos seja feita de forma a minimizar ao máximo os impactos.

7- Aplicação de vendas pela internet utilizando e-commerce

Mesmo as empresas B2B já estão utilizando o e-commerce para agilizar as vendas pela internet, incluindo aplicações mobile. Neste caso, uma boa estratégia de TI é ainda mais fundamental para o negócio para garantir estabilidade ao site, evitando que as transações sejam interrompidas. Ela garante, ainda, rapidez e flexibilidade nas adequações das diversas áreas, principalmente no que se refere ao departamento de Vendas. O investimento em plataformas em nuvem, para entrega dos serviços com qualidade pelo departamento de TI, contribui também para uma administração mais eficiente, uma vez que todas as informações do negócio estarão disponíveis 24 horas por dia.

8- TI como área de inovação para impulsionar novas frentes ao negócio

Os profissionais de TI das empresas precisam deixar de se preocupar com as atividades operacionais da área e focar cada vez mais nos processos de inovação. A Tecnologia da Informação tornou-se um dos principais aceleradores da transformação dos negócios, com iniciativas voltadas à migração do modelo tradicional aos negócios inovadores proporcionados pela Transformação Digital.

Como resultado, as empresas podem produzir produtos que atendem a um grande número de pessoas de maneira inteligente. Basta pensar em negócios como Tinder, Spotify e Uber. Uma das estratégias encontradas pelas empresas para deixar a equipe interna livre para pensar em inovação é a terceirização da parte operacional dos serviços de TI.

9- TI como gerador de valor a empresa

Por sua arquitetura digital, flexível e escalável, a nuvem não impõe barreiras e pode trabalhar com uma enorme variedade de sistemas e ferramentas para suportar aplicações de big data, mobilidade, mídias sociais, IoT e inteligência artificial, entre outras.

Mas na prática essas inovações só valem se trouxerem resultados. E isso se consegue com uma boa estratégia de TI alinhada ao direcionamento estratégico de negócios da empresa. Como afirmou o vice-presidente do Gartner Group, Cassio Dreyfuss: “A TI deixou de ser uma ferramenta de suporte para ser uma ferramenta de capacitação e criação de negócios”.

10- TI como gerenciador de recurso e não gerador de custos

Para ser estratégica, a TI precisa reduzir custos operacionais, melhorar a eficiência e, ao mesmo tempo, pensar adiante nos investimentos que farão a organização crescer e nas inovações necessárias para a sustentabilidade do negócio no futuro. Um estudo realizado pela KPMG com 500 executivos globais C-level apontou que a nuvem promove redução de custos (49%). Além disso, é importante para a comunicação com clientes e parceiros (37%) e que ajuda na criação de novos produtos (32%), entre outros.

E você, qual a sua estratégia de TI?

  • Segurança de dados e acesso?
  • Compliance em sistemas e processos?
  •  Multiplataforma para aplicações?
  •  Cloud?

Pode ser uma ou uma combinação delas, porque para cada empresa é preciso desenvolver uma estratégia de TI sob medida. Por isso, a Eiti oferece serviço de consultoria que ajuda na análise de ambiente atrelado às necessidades e especificidades de cada cliente. Além de ser um provedor qualificado para serviço de terceirização, incluindo gerenciamento físico e/ou remoto, monitoramento e suporte.

Seja de que tipo for a sua empresa, ter a estratégia de TI correta é fundamental para sustentar e alavancar o crescimento de negócio. Do contrário, pode trazer prejuízos e ineficácia em todos os setores.

Conheça as etapas do processo de trabalho da Eiti que irá transformar a área de TI da sua empresa em estratégica.

Cloud Broker - especialistas em nuvem para sua empresa - Eiti Gestao de TI

[LoginRadius_Share]