O que é Big Data

[LoginRadius_Share]

A cada segundo, dados são gerados pelas empresas para que elas façam o processo de tomada de decisão ser estratégico para os negócios. De acordo com números divulgados em 2015, pela The Software Alliance, 2,5 quintilhões de bytes são gerados diariamente, e esse volume de dados não pará de crescer nunca.

Mas o que acontece na hora de utilizar esses dados? Você consegue imaginar uma pessoa analisando tamanho fluxo de dados diarimente? Humanamente essa tarefa se torna impossível, e é aí que entra o Big Data.

Definição do Big Data

As ferramentas convencionais que conhecemos atualmente são incapacitadas de receber dados tão grandes, por isso, foi necessário realizar a criação do Big Data, um sistema para processamento e análise de dados extremamente grandes.

Os dados recebidos no Big Data podem ser de origem estruturados, semiestruturados ou não-estrutururados. Para a análise desses dados, são usadas dentro do sistema técnicas especiais, onde fazem com que os dados sejam encontrados, extraídos, organizados e transformados em informações extremamente útil e relevantes para o mercado.

O conceito desse sistema

Sabemos agora que o Big Data foi criado para comportar dados grandes gerados pelas empresas, mas em quais aspectos esse sistema foi pensado? Te contamos a seguir sobre os 5 V’s do Big Data.

Volume

O primeiro V refere-se ao ponto principal do Big Data: o Volume dos dados. A IDC estima que para o ano de 2020, sejam mais de 44 zettabytes gerados (cada zetabyte equivale a um dígito de 22 números de bytes). E esse volume pode ser originados de várias fontes como redes sociais, transações financeiras, informações de sensores, e quaisquer outros setores.

Velocidade

O segundo V do Big Data refere-se a parte de processamento. Mais especificamente a Velocidade em que os dados são recebidos e tratados. Apesar da complexidade de tratamento dos dados, o processo precisa ser rápido. As informações e conclusões precisam ser utilizadas em tempo real, para darem base a tomadas de decisões inteligentes.

Variedade

A Variedade do Big Data refere-se aos tipos e formatos dos dados gerados, que podem se classificar em estruturados (numéricos), não estruturados (documentos) e semiestruturados (que apresentam estruturas únicas).

Veracidade

O quarto V trata das fontes e da qualidade dos dados, afinal os dados a serem analisados precisam ser confiáveis. Do contrário, isso pode prejudicar a análise e os futuros resultados de um negócio.

Valor

O quinto e último V do Big Data é baseado na fase final do processamento, relacionando-se aos benefícios e resultados que os dados trarão para a empresa, ou seja, o Valor dos dados. Também se encaixa a análise financeira, para verificar se o alto investimento de análise e processamento é interessante.

Quando usar o Big Data?

Sem dúvidas o Big Data é um sistema de alto investimento, que precisa ser analisado financeiramente antes de sua implementação. O sistema é recomendado para organizações de grande portes, afinal, os dados gerados diariamente para análise são muito grandes.

Para as empresas que pensam em implementar o Big Data, vários são os benefícios que as análises podem trazer. Essa ferramenta ajuda a identiifcar falhas e defeitos em tempo real. Também gera promoções baseado nos perfis de compras dos clientes, além de reduzir custos e tempo.

 

Gostou desse artigo? Não deixe de acompanhar novidades e atualizações no nosso blog, com postagens novas marcadas para todas as terça-feiras! Confira também mais detalhes sobre os serviços que a Eiti oferece e adote as melhores estratégias para sua empresa.

[LoginRadius_Share]